terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Aquacultura, a solução para a pesca excessiva?

O presente vídeo levanta um conjunto de questões pertinentes acerca da aquacultura. Mas vamos, primeiramente, à definição desta atividade económica. Aquacultura ou aquicultura é a produção de peixes em viveiro, em águas salgadas (maricultura) ou em águas doces (piscicultura).

A aquacultura cresce a um ritmo muito acelerado. Desde 1970, que aumentou 9,2 %, em média, ao ano, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a agricultura e alimentação (FAO), em 1970 a aquacultura era responsável por apenas 3,9% de todo o pescado produzido no mundo, mas em 2006 era já de 47%. Hoje em dia, estima-se que represente 50% do pescado consumido.

Poderíamos pensar que desta forma estamos a preservar os recursos piscatórios marinhos, mas afinal pode não ser bem assim. De acordo com o testemunho sobre um estudo de caso, no vídeo, para se produzir as rações que alimentam os peixes é necessário capturar duas vezes mais peixe do que aquele que é produzido em aquacultura.

Os peixes são alimentados à base de farinha de peixe e cereais.

Assim, cria-se uma situação de sobrepesca, causada pela produção de farinhas para aquacultura. Dada a gravidade da situação, não existe outra opção que não seja a procura de alternativas na alimentação do pescado produzido, recorrendo-se a plantas como a soja ou plantas marinhas, como as macroalgas, que começam a ser implantadas e podem tornar-se na solução para o problema.

Vejamos o vídeo.




É urgente acabar com a sobrepesca

O vídeo disponível neste post dá-nos uma noção da intensa depredação atual dos mares e oceanos, por força da pesca industrial, do aumento das capturas em consequência do aumento do consumo, duma cada vez maior população mundial. Este assunto obriga-nos a refletir sobre a 'velha' questão do necessário equilíbrio entre população e recursos ou desenvolvimento sustentável do planeta.

Através de ilustrações muito elucidativas, este vídeo, demonstra os efeitos nefastos, quer das modernas técnicas de pesca, quer da tão proclamada aquacultura, como salvadora da biodiversidade marinha. Senão atentemos nos seguintes indicadores avançados por investigadores:

  • Nos últimos 60 anos as reservas de peixe de maior dimensão diminuíram 90%;
  • Prevê-se o colapso (ao ritmos do consumo atual) para todos os tipos de espécies de peixe nos próximos 50 anos;
  • As maiores redes da técnica de arrasto possuem diâmetros na ordem dos 23 000 m2, o que é equivalente a 4 campos de futebol e capturam, de cada vez, mais de 500 toneladas de peixe;
  • Para se criar 1 kg. de Salmão, em regime de aquacultura, é necessário, em média, 5 kg. de peixe selvagem.


Certamente que estes indicadores darão que pensar e para motivar para a visualização do vídeo.





quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Energia Renovável . Parte 1 de 6 - Energia solar

A energia solar, proveniente do sol, é inesgotável e pode transformar-se em energia elétrica a partir de painéis fotovoltaicos.
Porém, a energia solar serve, igualmente, para aquecimento direto de edifícios, desde que devidamente orientados para rentabilizar os raios solares, reduzindo, assim, a fatura da eletricidade com equipamentos elétricos de aquecimento, como o ar condicionado, ventiladores ou convetores.
A energia solar pode, também, ser utilizada para aquecimento de águas de piscinas, habitações e sistemas de climatização de interiores de edifícios, transformando-se em energia térmica.
O vídeo, abaixo incorporado, apresenta algumas das vantagens das energias renováveis e não poluentes. Neste vídeo é abordado, como caso particular, a energia solar e a sua transformação em energia elétrica.
O vídeo apresenta o caso particular da empresa FedEx, que utiliza a energia solar como fonte energética utilizada nas suas instalações, demonstrando os benefícios do seu investimento.






Energia Renovável . Parte 2 de 6 - Energia solar.

Continuação...


Energia Renovável . Parte 3 de 6 - Energia Eólica .

O vídeo que se segue fala-nos sobre a energia eólica. Trata-se de mais uma das fontes de energia limpas e inesgotáveis que existem no nosso planeta. Neste caso, são os aerogeradores que transformam a força do vento em energia elétrica. Para ver e aprender.
 


Energia Renovável . Parte 4 de 6 - Energia Geotérmica.

A energia Geotérmica provém do interior da Terra em locais onde exista atividade vulcânica, sísmica ou magmática. A partir da energia Geotérmica pode produzir-se energia elétrica, porque o vapor  aciona turbinas que irão gerar eletricidade. Porém, o calor do interior da Terra também pode, igualmente, servir para produzir aquecimento de edifícios, por exemplo. A água quente, proveniente do subsolo, pode, ainda, ser utilizada diretamente nos domicílios, evitando desperdício energético, para aquecer as águas.
 
O vídeo que se segue apresenta uma reportagem muito interessante sobre o aproveitamento da energia Geotérmica num dos países mais ricos neste recurso natural - a Islândia.
 
Em Portugal, existe, também, algum aproveitamento geotérmico, numa escala muito diferente da finlandesa, nomeadamente nos Açores, por se tratar de um arquipélago de caraterísticas vulcânicas. Existem mesmo algumas centrais Geotérmicas, como em S. Miguel, nomeadamente as centrais Geotérmicas de Ribeira Grande e do Pico Vermelho.




Energia Renovável . Parte 5 de 6 - Energias alternativas para automóveis .

Perante o fim anunciado do petróleo, a menos que se descubram novas reservas, e a bem do meio ambiente, as principais marcas de automóveis procuram alternativas à gasolina ou gasóleo. Este vídeo demonstra algumas das possibilidades de energias alternativas utilizadas para mover os automóveis, desde a energia elétrica, o etanol e o biodisel. Explora, ainda, que muito ligeiramente a possibilidade da utilização do hidrogénio.


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Recursos Minerais

Este vídeo demonstra, de forma clara, a classificação de alguns dos minerais existentes no subsolo, a sua importância e utilização no quotidiano. Aborda, também, de forma sintética os problemas associados à exploração do subsolo.
A atividade económica que explora os recursos do subsolo designa-se de indústria extrativa.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

A agricultura em Portugal - reportagem da SIC

Para ver uma excelente reportagem da SIC sobre a atual situação da agricultura em Portugal, onde se demonstra claramente a nossa dependência alimentar.


Cultivo de hidroponia

Este vídeo demonstra uma das mais modernas formas de cultivo - a hidroponia. Este sistema de cultivo é elabora em modernas estufas e utiliza a água e nutrientes como único meio de alimentação das plantas. Trata-se de uma produção intensiva de produtos hortícolas frescos, em curtos períodos de tempo, permitindo, assim, abastecer os mercados de forma regular e massiva.


A modernização das máquinas agrícolas



Este vídeo demonstra o poderío das novas máquinas agrícolas e a sua eficácia. Hoje, com cerca de 7 biliões de habitantes no planeta, a plantação de culturas e a criação de gado intensiva é fundamental para alimentar tanta gente. Porém, o vídeo também é elucidativo no que respeita à crescente diminuição da mão-de-obra agrícola, sendo o setor de atividade que menos pessoas emprega nos países desenvolvidos.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Evolução da Agricultura e a distribuição de alimentos



O vídeo apresenta a evolução da agricultura e a desigual distribuição de alimentos no mundo. Apesar das imagens não serem as melhores, o vídeo demonstra algumas das técnicas modernas e a ganância do capitalismo, que impede que os alimentos produzidos possam ser distribuídos de forma a evitar a fome nos países em desenvolvimento.