quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Portugueses desenvolvem vacina contra Malária

A fundação Melinda & Bill Gates financia, com 720 mil euros pela primeira vez projectos lusos, que são pioneiros a nível mundial.

O investigador Miguel Prudêncio da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa está a desenvolver uma vacina contra a malária, utilizando um parasita que infecta apenas roedores. Este parasita pode ser modificado geneticamente de forma a activar o sistema imunitário dos humanos, de forma a combater o outro parasita da malária que os infecta. Espera-se que este estudo possa criar uma vacina de elevada protecção e durante um longo período de tempo.

A malária é uma doença que mata 1 milhão de crianças por ano com menos de 5 anos de idade, atingindo por ano mais de 250 milhões de pessoas em todo o mundo e mata 2 milhões.

Cerca de 90% destas mortes ocorrem na África subsariana.

A doença propaga-se pela picada de um mosquito 'Anopheles' fêmea, que tem na sua saliva o parasita. Só as fêmeas se alimentam de sangue, visto que os machos vivem da seiva das plantas.

Este parasita é transportado pela corrente sanguínea até ao fígado. Cada parasita que chega ao fígado multiplica-se por 20.000 e as células afectadas do fígado rompem-se e o parasita entra no sangue e infecta os glóbulos vermelhos, destruíndo-os e provocando acessos periódicos de calafrios e febres intensas (39 a 41 graus).

A malária é uma doença difícil de travar porque se o mosquito fêmea sem os parasitas da malária picar um corpo humano infectado pela doença, os parasitas migram para a sua glândula salivar e o mosquito poderá infectar um novo ser humano. 

Devo destacar que é muito importante o surgimento de cientistas portugueses no panorama internacional, o que resulta de um maior investimento na área da ciência, tecnologia e investigação.

Destaco, igualmente, a importância que a Fundação de Bill Gates, o 2.º homem mais rico do mundo, presta à investigação a nível mundial.

Clica no link abaixo que te permitirá ver a infografia do ciclo da Malária.


Notícia adpatada do jornal o "Expresso"
Vírgilio Azevedo e Sofia Rosa

Sem comentários:

Enviar um comentário