domingo, 15 de novembro de 2015

Hans Rosling's: 200 países, 200 anos, 4 Minutos

A esperança média de vida nos países desenvolvidos passou de 35 anos, no século XVIII, para 77 anos na atualidade (valor médio). Portugal está acima da média, com um valor de 78,7 anos. A sul do Sara, 17 países da região ainda registam esperanças médias de vida de 50 anos ou menos.
De uma forma fantástica Hans Rosling's conta a história do desenvolvimento de 200 países e relaciona-o com a evolução da esperança média de vida desde 1810.


Angola tem segunda maior taxa do mundo de mortalidade infantil

No ano de 2012 morreram 6 milhões e 600 mil crianças antes de completarem os cinco anos de idade. O número é elevado, mas mesmo assim representa uma redução para metade, quando comparado com os números de 1990.Os dados são do relatório anual da UNICEF sobre sobrevivência infantil, que revela que Angola é o segundo país do mundo com a maior taxa de mortalidade nesta faixa etária.

Para conhecer mais detalhes pode ver a notícia, clicando na imagem.

raton-y-mouse-de-la-computadora-imagen-animada-0003

Notícia de Paula Martinho da Silva/Dores Queirós, RTP.
13 de setembro de 2013

Nós Portugueses_ Causas de morte

Em 2011, registaram-se 102 848 óbitos em Portugal, tendo ocorrido a maior parte entre pessoas com mais de 75 anos, mais concretamente 66,8%, o que é natural. A mortalidade decaiu desde 1900 (cerca de 20 por cada mil) até 1980, fruto dos avanços na medicina, na alimentação e na qualidade de vida em geral. A partir daí, estabilizou e, atualmente, atinge o valor de 10,9 mortes por cada mil pessoas por ano. Este valor, que se pode considerar elevado, deve-se ao aumento da esperança média de vida em Portugal e, consequentemente, ao contínuo envelhecimento populacional.

As causas de morte em Portugal evoluíram ao longo do tempo. Hoje estão cada vez mais associadas aos estilos e hábitos de vida das sociedades modernas. Pode constatar-se este facto, visualizando o vídeo da Pordata que se encontra abaixo disponível.

Nós portugueses_Quantos somos

Portugal possui cerca de de 10,5 milhões de habitantes, que se concentram, sobretudo, no litoral, com destaque para as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto. Entre 2005 e 2011, o número de nados-vivos (bebés nascidos com vida) diminuiu 11,5% e o número de óbitos ou mortes diminui 4,3%. Se em 2005 nasceram mais 1935 pessoas do que aquelas que morreram, em 2011 morreram mais 5 986 pessoas.

A Pordata, ainda antes destes resultados definitivos do recenseamento da população portuguesa em 2011, caraterizava a nossa população da forma que se pode ver no vídeo abaixo.

A taxa de mortalidade infantil no mundo - últimos dados da UNICEF

Segundo o último estudo da Unicef sobre a mortalidade infantil, publicado em 2013, a Angola aparece como o segundo país do mundo onde morrem mais crianças com menos de cinco anos. A Guiné-Bissau está em sexto lugar nesta negra estatística, enquanto Moçambique já regista alguns progressos. A pneumonia, a diarreia e a malária continuam a ser as principais causas de morte.

Para obter mais dados basta clicar na imagem do desenvolvimento da notícia.


raton-y-mouse-de-la-computadora-imagen-animada-0003




segunda-feira, 2 de novembro de 2015

euronews reporter - Planeamento familiar no Uganda

A Rádio Uganda emite, semanalmente, um programa sobre contraceção, a forma de utilizar o preservativo feminino e sobre como evitar a gravidez precoce.
O objetivo passa por controlar a taxa de natalidade, uma das maiores do mundo, mas o problema reside na dificuldade de implementar os métodos contracetivos numa população com baixos níveis de instrução e alicerçada em hábitos e crenças desfasadas duma sociedade moderna.