terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Vaga de frio - conceito

A Europa foi assolada durante o mês de Fevereiro por uma vaga de frio polar siberiana, ou seja, da região do ártico.
Onda de frio vitimou pelo menos 590 pessoas (foto AP)



















O que é uma vaga de frio?
Considera-se vaga de frio sempre que pelo menos em 6 dias consecutivos a temperatura máxima diária seja inferior em 5º C, ou mais, ao valor normal para a época.

As vagas de frio são muito nocivas para o ser humano, podendo causar a morte por hipotermia, sobretudo nos idosos, crianças e pessoas mais desprotegidas.

Os impactos atingem, igualmente, a agricultura destruindo culturas, o que pode conduzir a prejuízos económicos avultados. O setor dos transportes com o encerramento de aeroportos, estradas e ferrovias prejudicam, igualmente, a circulação de pessoas e mercadorias. Os gastos com a energia, devido à necessidade de utilização intensa dos sistemas de aquecimento são avultados, provocando, por vezes, a subida do preço dos combustíveis fósseis responsáveis pela produção energética, como é o caso do petróleo.

A influência das massas de ar frio polares siberianas, extremamente frias, atingem com alguma regularidade outros países europeus, mais a sul, alterando os seus normais climáticos.

Países que, mesmo em pleno inverno, possuem temperaturas moderadas podem atingir temperaturas muito baixas chegando aos valores negativos, por vários dias consecutivos, ocasionando na maior parte das vezes queda de neve intensa.

Vaga de frio na Europa

A vaga de frio que atingiu a Europa este mês não foi muito diferente daquela que ocorreu em 2005, onde, por exemplo, na Roménia se atingiram as temperaturas mais baixas dos últimos 70 anos, com valores de  39º C negativos. Na altura na Sibéria (Rússia), a região de Tuva registou temperaturas de - 50º C.

Os últimos números indicam que a vaga de frio que atinge os países da Europa provocou mais de 650 mortes.

Roménia

A queda intensa de neve isolou 225 localidades e 156 estradas entre regiões estavam bloqueadas.
Cerca de 4.200 lares estavam privados de eletricidade.

República Checa

Na República Checa verificaram-se violentas tempestades de neve, tendo dado origem a acidentes graves em duas movimentadas autoestradas que envolveram mais de uma centena de veículos e fizeram 9 feridos.

Polónia

Na Polónia a temperatura desceu aos 32º negativos e o rio Vístula ficou congelado bloqueando navios nas suas águas que tiveram de ser retirados por embarcações quebra-gelo. Na região da Silésia a neve bloqueou mais de 80 estradas. A vaga de frio durou mais de 8 dias consecutivos, o que provocou o isolamento de inúmeras aldeias.


Sérvia

Na Sérvia as temperaturas atingiram os 36 graus negativos e a neve bloqueou cerca de 11.500 pessoas em várias aldeias no oeste e sudoeste do país.

Ucrânia

Na Ucrânia foram registados 35 graus negativos durante a noite. Trata-se do inverno mais rigoroso dos últimos seis anos e foram contabilizados mais de 100 mortos. Dezenas de milhares de pessoas foram recolhidas em abrigos temporários para escapar ao frio.

Lituânia, Letónia e Estónia

24 pessoas perderam a vida devido às baixas temperaturas.

Hungria

Numa pequena povoação da Hungria, habitantes de uma pequena localidade perto da fronteira com a Sérvia conseguiram cavar algum carvão perto de uma mina abandonada que lhes permitiu enfrentar o frio e sobreviver.

Espanha

Apesar da distância geográfica (país da Europa do Sul) nem a Espanha escapou ao frio intenso, sobretudo na região da Catalunha onde nevou intensamente. No nosso país vizinho aconteceu mesmo algo insólito quando no País Basco, a praia de La Concha ficou coberta de neve.

França

Foram contabilizados 12 mortos.
Itália

Em Bolonha a circulação de comboios esteve interrompida e o aeroporto fechado. Sexta-feira nevou intensamente em Roma. Já se registaram 45 mortos.

Rio Danúbio

O Rio Danúbio congelou por centenas de quilómetros, na Áustria, Hungria, Croácia, Bulgária e Sérvia.

Outras ocorrências: Um morto na Holanda, quatro na Alemanha e cinco na Grécia juntam-se a outras cinco fatalidades na Áustria.
 
                                Inglaterra

Observa agora duas das reportagens sobre esta vaga de frio.

Vídeo RTP

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Impactes da vaga de frio na vida selvagem

As temperaturas excessivamente baixas na Rússia (abaixo do 30º C negativos) congelaram quase todos os rios e lagos onde as aves migratórias costumam passar o inverno. Em consequência muitas aves selvagens procuram água e alimentos junto das áreas populacionais.

“Nas pequenas aldeias com poucos habitantes, até os auroques podem aparecer porque não têm folhas, erva ou feno para comer. Farão como os animais domésticos em busca de comida”, explicou um especialista.

Os ambientalistas pedem às pessoas para alimentar as aves selvagens e assim ajudá-las a sobreviver a estas condições extremas”, sublinhou Evgeniya Rudenko da Euronews.

Observa a reportagem através da hiperligação que se segue.


ztarmail.gif (11175 bytes) Ucrânia: Frio ameaça vida selvagem | euronews, mundo