sexta-feira, 27 de setembro de 2013

População Mundial chegará aos 11 mil milhões em 2100 e um terço terá mais de 60 anos

A Índia será o pais mais populoso do mundo no fim deste século, estima a ONU. População da Europa diminui 14%.

A população mundial deverá crescer até aos 8100 milhões em 2025, daí para os 9600 milhões em 2050 e atingir quase 11 mil milhões de pessoas em 2100, segundo um relatório publicado nesta quinta-feira pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Actualmente, a população do mundo é de 7200 milhões de indivíduos.
De acordo com o relatório, intitulado “Perspectivas demográficas mundiais”, daqui até 2100, a parcela de pessoas com mais de 60 anos deverá triplicar, dos actuais 841 milhões para 2000 milhões em 2050 e quase 3000 milhões em 2100.
O envelhecimento da população será mais marcado nos países em vias de desenvolvimento, por causa da baixa da taxa de fecundidade e da subida da esperança de vida, que deverá chegar aos 81 anos em 2095 (e 89 anos nos países desenvolvidos). A proporção de seniores nos países em desenvolvimento passará dos 9% do presente para 19% em 2050 e 27% em 2100 (contra 22% de crianças com menos de 15 anos).
O grupo de indivíduos com 80 anos e mais será sete vezes maior no fim do século – 830 milhões contra 120 milhões actualmente – e dois terços estarão em países em desenvolvimento.
Os números correspondem à revisão de 2012 das perspectivas demográficas, que actualizam os últimos dados publicados em 2010, e que apontavam para um crescimento global até aos 10 mil milhões de habitantes em 2100. A alteração, explicou o director de demografia do Departamento de Assuntos Económicos e Sociais da ONU, John Wilmoth, resulta do aumento da fecundidade na África subsaariana.
As estimativas baseiam-se num cenário médio, sublinhou. “O ritmo de quebra da fecundidade em muitos países africanos poderá revelar-se mais rápida ou mais lenta”, precisou.
Segundo o relatório, será a África a assegurar mais de metade do crescimento da população mundial, passando de 1100 milhões de habitantes para 2400 milhões em 2050 e 4200 milhões em 2100. A população no resto do mundo não deverá aumentar mais do que 10% entre 2013 e 2100.
A Europa verá a sua população diminuir em cerca de 14%. A quase totalidade dos países europeus não chegará sequer a renovar a sua população, passando da média de 1,5 filhos por cada mulher para 1,9 em 2100.
A Índia deverá ultrapassar a China como o país mais populoso do planeta por volta de 2028, com 1450 milhões de habitantes. Prevê-se que em 2100, a população na Índia alcance os 1500 milhões, enquanto na China serão 1100 milhões.
Notícia do Jornal "Público", AFP de 13/06/2013

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Portugal continua a fraquejar no Desenvolvimento Humano – PNUD

Portugal desceu mais dois lugares no índice mundial de desenvolvimento humano, depois de ter recuado um lugar no ano passado, revela o Relatório de Desenvolvimento Humano, um documento anualmente produzido pelas Nações Unidas e que mantém a Noruega (0,955) como o país com pontuação mais elevada do mundo.

Portugal continua a fraquejar no Desenvolvimento Humano – PNUD

De acordo com o "Human Development Report" (HDR, Relatório de Desenvolvimento Humano 2013), divulgado nesta quinta-feira pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Portugal desceu para o 43.º lugar, continuando no grupo de países de «muito alto desenvolvimento», obtendo uma classificação de 0,816 pontos, depois de se ter posicionado no 41.º posto do relatório de 2012, com 0,809. No relatório de 2011, o país ocupava o 40.º lugar entre as nações consideradas “mais desenvolvidas”.
Aliás, à luz dos dados do PNUD, Portugal tem vindo a perder força no aumento do índice de desenvolvimento, com a média anual a desacelerar de 0,93% na década de 1990, para 0,43 no período 2000 a 2010 e 0,35% no período medido entre 2000 e 2012.
Num dos quadros incluídos no relatório, indicando as variações nas posições obtidas pelos países (entre 2011 e 2012), Portugal é o que apresenta a maior variação negativa de todos países analisados (-3, para a 43.ª posição).


Segundo o HDR de 2013,  um estudo que abrange 187 países, Noruega (0,955), Austrália (0,938) e Estados Unidos da América (0,937) lideram o ranking, seguidos pela Holanda (0,921) e a Alemanha (0,920), considerados os melhores classificados no grupo de países de «desenvolvimento humano muito elevado». Em último lugar encontra-se o Níger (0,304).



O Índice de Desenvolvimento Humano é um índice composto que -com base em informação estatística disponível até ao ano precedente - mede o progresso em função de três dimensões básicas de Desenvolvimento Humano, tais como esperança de vida saudável, educação e rendimento que permita ter um padrão de vida decente.


Notícia adaptada do site Dinheiro Digital de 15/03/2013.