quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Desde 1990 Mais de 1.500 morreram ao tentar chegar de barco à Austrália

Mais de 1.500 pessoas perderam a vida em alto mar desde 1990 ao tentarem chegar à costa australiana a bordo de pequenas embarcações controladas por máfias de traficantes de pessoas, indicam dados oficiais hoje publicados.

Mais de 1.500 morreram ao tentar chegar de barco à Austrália


Também no mesmo período, mais de 1.100 embarcações com cerca de 70.000 imigrantes indocumentados tentaram chegar à Austrália, dos quais 40 casos com um final trágico com o naufrágio do barco em que viajavam causando centenas de mortes, reporta o diário “Sydney Morning Herald”.

Em Outubro de 2001, 353 pessoas, entre as quais 146 crianças, perderam a vida quando o barco onde seguiam afundou, na maior tragédia ligada à tentativa de imigração ilegal para a Austrália.

O fluxo de embarcações carregadas de pessoas que procuram asilo político na Austrália tem sido condicionado não só pelas políticas de migração dos vários governos do país, mas também pelos governos em regiões como o Iraque ou dos talibãs no Afeganistão.

Abbott reuniu-se já esta semana com o Presidente indonésio Susilo Bambang Yudhoyono para abordar a questão que leva milhares de pessoas do Afeganistão, Bangladesh, Iraque, Irão e Sri Lanka a tentar a viagem em alto mar.

A maioria dos imigrantes indocumentados é detida e levada para centros de detenção em terceiros países onde são formulados os pedidos de asilo que, em alguns casos, demoram anos a serem concluídos.

Notícia adaptada da Agência Lusa, 02 de Outubro de 2013

Sem comentários:

Enviar um comentário