quarta-feira, 1 de maio de 2013

Globalização e deslocalização industrial

Os grupos industriais portugueses também se envolvem no fenómeno de globalização da economia e participam no fenómeno da deslocalização industrial. Este facto já não é novidade para ninguém e, na atualidade, o grupo Salvador Caetano também pertence ao rol das empresas que se transformam em multinacionais, aproveitando mercados emergentes e mão-de-obra mais barata para a sua produção. Vejamos, então, a seguinte notícia que nos dá esse exemplo.


O grupo quer expandir-se internacionalmente, mas mantendo o centro de competências em Portugal.
Com a fábrica de autocarros para aeroportos na China quase a arrancar, o grupo português Salvador Caetano continua a acelerar a estratégia de internacionalização. Em estudo está a abertura de uma segunda fábrica de autocarros na América Latina. "Estamos a estudar a criação de uma fábrica na América Latina, pois acreditamos que existem boas perspectivas de crescimento nessa região", revela o presidente-executivo da Caetano Bus, Jorge Pinto, ao Diário Económico.


O responsável realça, no entanto, que o centro de competências do grupo continuará a ser em Portugal. "Vamos manter a nossa unidade portuguesa como o centro de competências das unidades industriais. Todo o ‘kown-how' continuará a ser desenvolvido em Portugal e depois exportado para as restantes fábricas", sublinha o presidente-executivo da Caetano Bus.

Notícia do Jornal "Económico" de 29/04/2013

Sem comentários:

Enviar um comentário