quinta-feira, 31 de março de 2011

Pepsi - nova garrafa 100% reciclável

O grupo alimentar PepsiCo anunciou que projectou a primeira garrafa de plástico feita inteiramente com materiais vegetais e 100 por cento reciclável.

"A PepsiCo, como um dos maiores grupos agro-alimentares do mundo, está numa posição única para utilizar os seus recursos na produção de uma garrafa 'amiga' do ambiente”, disse a chefe executiva da empresa. Segundo Indra Nooyi, pretende-se criar "um modelo de negócio sustentável" e diminuir a sua dependência relativa a materiais à base de petróleo.

O grupo diz ter descoberto uma estrutura molecular idêntica à que utiliza para produzir as embalagens de plástico, feitas a partir de derivados de petróleo. O resultado, explica, é “uma garrafa que se apresenta, se sente e protege o produto da mesma forma que as embalagens existentes em Pet [garrafa de plástico feita de politereftalato de etileno]”. Contudo, a nova embalagem é feita inteiramente de “matérias-primas orgânicas”, afirmou a PepsiCo em comunicado. A empresa refere que são utilizados ingredientes como erva, casca de pinheiro e folhas de milho. “No futuro, o grupo planeia incluir cascas de laranja, de batata e aveia, assim como outros produtos agrícolas provenientes da produção agro-alimentar”, acrescenta.

A nova garrafa vai começar a ser produzida em 2012, ainda numa fase experimental. Se os resultados forem positivos após o período de testes, a empresa pretende comercializar “em grande escala”. Mas admitiu que vai demorar alguns anos para conseguir produzi-la e comercializá-la de forma viável.

A PepsiCo afirma que a tecnologia utilizada para a criação desta garrafa é melhor que a da sua concorrente CocaCola, que usa 30 por cento de materiais biológicos. A mesma empresa já tinha desenvolvido uma embalagem de plástico 100 por cento reciclável, mas para batatas fritas. No entanto, foi retirada do mercado porque os consumidores se queixaram que fazia muito barulho.

De acordo com a Mother Nature Network (Rede Mãe Natureza), são utilizadas aproximadamente 1,5 milhões de toneladas de plástico por ano. O que equivale à utilização de 175 milhões de litros de petróleo para o fabrico das embalagens, números da Food and Water Watch.

Esta notícia retirada do Jornal "Público", não deixa de ser interessante, mas pode encerrar algumas questões.

Senão vejamos, em primeiro lugar, a produção da referida garrafa só poderá vir a ser comercializada daqui a uns anos (pós 2012). Se entretanto vier a ser. Porém, a ideia é excelente e se for viável a natureza agradece e nós também.

Por outro lado, é interessante observar que as questões ambientais estão tão em voga, que muitas das vezes servem, nitidamente, como plano de marketing e publicidade, bem como argumento para bater a concorrência.

Seja qual for o objectivo, o planeta agradece!

Sem comentários:

Enviar um comentário